Coisas que odiamos na balada

Consumação mínima, cheiro de cigarro e aborígenes: veja o que há de pior na noiteQuem inventou a consumação mínima deveria ser proibido de sair de casa. Ou só poder sair se pagasse um mínimo de R$15, se fosse homem e R$10 se fosse mulher. Porque a pessoa tem que ter muito espírito de porco para criar um método maligno que obriga você a andar com um cartão a noite inteira, se debruçando no balcão para pedir uma mera cerveja e ficar com paranóia de perder o tal cartão e pagar R$200. Além é claro, do ódio eterno das pessoas que não bebem como a Nina e a Jô, que quando vão a um lugar de consumação mínima têm que beber dez águas ou dar a consumação para mim. Se bem que essa parte é boa.”

A consumação mínima é apenas uma das coisas que odiamos na balada. Outra mania irritante de quem sai à noite é chegar tarde nos lugares. Daí, se você não é um morcego que acorda tarde e gosta de sair de casa às duas da manhã, tem que ficar fazendo hora pra chegar no lugar. Você come, tira cutícula, vê TV, troca de roupa três vezes e quando percebe, está com sono e desisti de sair. Mas quando você se levanta e resolve sair, percebe que ainda assim chegou cedo e que só daqui a duas horas as pessoas vão começar a chegar e a festa começará a ficar boa. Justamente na hora em que você vai estar meio bêbada querendo ir embora.

Um outro detalhe das baladas, que torna a volta da noite extremamente ruim, é o cheiro de cigarro que fica na roupa. Quer dizer, se você fuma, isso não deve ser assim tão mal. Mas para quem odeia cigarro, chegar em casa com cheiro de cinzeiro é muito ruim. Ainda mais quando o seu cabelo também está com esse cheiro e você está com preguiça de tomar banho. E o dia seguinte pode ficar pior ainda quando você perceber que o seu travesseiro também está com odor de Marlboro.

Outras coisas que odiamos na noite:
Lugares que não tem lugar para estacionar, ou que tem estacionamentos que cobram R$6.
Boites que vendem cerveja a R$4. Ou um drinque a R$12.
Lugares para dançar que não tem chapelaria. Onde eles pensam que a gente vai deixar a bolsa? No chão?
Porteiros grossos que não deixam a gente dar uma olhadinha.
Porteiros grossos em geral.
Banheiros imundos e sem papel higiênico.
Lugares onde uma garota não pode ficar dançando sozinha, que logo chegam vários aborígenes para encher o saco.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s