Manual de convivência com amigas motherns ;Mother + modern, sacou?

Para todas vocês que não têm filhas, aí vão algumas dicas de convivência pacífica com suas amigas que já se tornaram mães (ou estão quase).
1) Durante a gravidez:
Entenda que sua amiga agora é uma mulher que tem sono. Muuuuito sono. E que, provavelmente ODEIA cheiro de cigarro e perfumes fortes.
Se, no meio da balada, ela se levantar correndo rumo ao banheiro, não se assuste muito. Enjôos fazem parte.
O humor de uma grávida é mais instável que um bofe de salto alto. Releve explosões inexplicáveis. Ela também não vai saber por que exatamente explodiu.
Mesma coisa para momentos de sentimentalismo-descontrol. Não ache que ela surtou só por que chora até ouvindo o Alexandre Pires. (Hummmm… tudo bem, se for o Alexandre Pires é preocupante, sim.)
2) Após o parto:
A criança nasceu e sua amiga agora está num período-limbo, uma fase de adaptação para todos da nova família. Para a amizade de vocês também. A melhor dica é tenha paciência.
Combine antes com sua amiga se ela gostaria que você fosse visitá-la ainda na maternidade. Não é todo mundo que gosta de ser visto num momento bagaço-total. Nem por seus melhores amigos.
Todo recém-nascido parece um ratinho e tem cara de joelho. Mas nenhuma mãe acha isso de seu próprio bebê. A não ser que sua amiga tenha parido alguma aberração, elogie efusivamente a fofura da criança.
Nas primeiras visitas, seja breve. Por mais que você tenha milhares de
novidades sobre aquele seu eterno pretê, a recém-parida vai estar cansada demais ou com sono demais para conversas muito longas. Fica pra depois.
3) Diariamente:
Não deixe de convidar sua amiga-mothern para programas legais só porque agora ela tem filhos. Tudo bem, é melhor esperar a licença-maternidade terminar antes de chamá-la para aquela rave imperdível que só vai acabar no almoço do dia seguinte. Mas também não precisa agir como se sair de uma maternidade fosse o mesmo que entrar para um convento.
Se ligar para a sua amiga e ouvir o pimpolho se esgüelando do outro lado
da linha, peça para ela te ligar mais tarde. Nunca pergunte o que
aconteceu, está tudo bem aí?. E com certeza sua amiga está num momento-descontrol, com pouquíssima paciência para este tipo de pergunta.
Se ela te convidar para almoçar num dia de semana comum, com toda a
família, lembre-se de chegar no horário. Criança não espera a visita para
ter fome.
Pode não parecer, mas mesmo crianças que mal sabem falar entendem
perfeitamente o que você diz. Não aja na frente da criança como se ela não estivesse ali, ou como se não entendesse português.
Nunca diga para a criança: Fulaninho, peça a sua mãe para comprar tal
coisa pra você, é tããããããão legal! Sua amiga pode não achar legal ou não ter grana pra comprar o mimo. Consulte a mãe primeiro, compre e dê você mesma.
Aprenda, decore, sabatine, repita em voz alta o nome dos Fulaninhos filhos dos seus amigos. É regra.
Se você tem um lindo, adorado e fofo cachorrinho, NUNCA, JAMAIS, EM TEMPO ALGUM compare sua relação com este animal ao que sua amiga tem com o filho.
E acredite: ter um bichinho não tem NADA A VER com ser mãe. NÃO MESMO!!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s