A vila blaselândia!

Conheça o lugar onde vivem aquelas pessoas que têm certeza de que estão em Nova York e só sabem fazer cara de nada…  O termo não foi inventado por mim, mas por duas amigas que preferem não se identificar para não apanhar. Só que espera aí! Esse risco não existe! Gente blasê não bate! Eles também não gritam, não aplaudem. Qualquer manifestação mais empolgada pega mal na Vila Blaselândia!
“Esse é o lugar onde moram aquelas pessoas que acreditam piamente que saíram da Factory do Andy Warhol. Algumas fantasias variam. Alguns têm certeza absoluta de que são o David Bowie, outra jura que é a Nico e por aí vai. Eles são tipo aqueles loucos de filme de hospício que ficam falando: “”Eu sou Napoleão!””, “”Eu sou Jesus””. A diferença é que eles nem falam isso… apenas têm certeza. E tudo se manifesta naquele ar super cool e super estudado que eles usam quando estão em seu habitat predileto: as galerias de arte, as festas performáticas, os shows alternativos de bandas de pessoas blasés que têm absoluta certeza de que são os novos Stooges.
Outra característica desse povo é não olhar para as pessoas. Tente ir a uma festa da Blaselândia. Querida, você terá absoluta certeza de que é invisível! Olhar no olho? Não, isso é muito cafona! Gritar quando encontra um amigo que não vê há muito tempo então nem pensar! Você pode gritar na frente de um blasé profissional que ele vai continuar te olhando com cara de nada (socorro, tem coisa pior do que cara de nada??).
Se você for muito cool, quer dizer, se você também for blasé, talvez você arranque um sorrizo um dia de um blasé. Isso significa que você pode ser um deles. Portanto, comece a rir mais alto e a ir a outros tipos de lugares para não sofrer uma contaminação.
“A essa altura você deve estar se perguntando: mas aqui não é o país do Carnaval, do samba, do suor e da cerveja? É sim! E aqui é a selva! Mas um blasé não mora no Brasil. Ele mora em Nova York, Londres talvez. Não na vida real, claro. Mas nas fantasias de um blasé… qualquer apartamentinho no bairro do Sumaré, em São Paulo, vira um loft do Brooklin. Se eles são loucos? Não, eles só são blasés. Eles apenas se acham o máximo. Freud diria que eles são narcisistas. Eu diria que eles são chatos…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s