Nada basta!

Agora me dizem que é preciso ter um apartamento bonito, lindo, perfeito. Nada mais basta. Depois de uma certa idade, e se você passa a conhecer gente de tipos variados, a lista de exigências da humanidade em relação a você só cresce. Não basta que você seja inteligente, que tenha abandonado a modéstia, mas que também não seja esnobe. Não basta você trabalhar igual a uma camela, ganhar seu dinheiro honesto, ser criativo e reconhecido por isso. Também não basta que você esteja conseguindo se esforçar para ser mais compreensiva, menos ciumenta, menos possessiva, ao mesmo tempo mais corajosa. Não basta ser humilde. E também não basta ser boa amiga. Não basta ter o cabelo sem raiz branca, a unha  feita, bons modelos, bons pares de sapato, uma cota grande de perdão. Não basta que você tenha aprendido sozinha a queimar CDs e a superar sua crise de pânico. Não basta.
Agora vieram dizer que eu preciso também morar em um apartamento bonito. Ou, que seja assim, uma coisa que mostre qual é a minha personalidade, com muitas coisas incríveis penduradas na parede. E que a cor da parede seja certa, claro. Não basta que eu tenha comprado café da manhã para receber bem o meu amigo que veio conhecer a minha casa. Não basta que eu tenha feito café para ele e lembrado do suco de laranja. Ficou faltando que eu gostasse mais da minha casa (que eu adoro), que tivesse mais móveis, talvez que morasse em um lugar mais caro, que a vista fosse melhor. De cara ele, que era esperado com amor, disse que a casa precisava de muitos consertos decorativos, porque pelo jeito eu não ligava muito para a casa onde eu moro.
Lágrimas descem, de novo. Ele não entende porque eu choro. Mas eu explico agora. O que mais é preciso provar para as pessoas? Se a minha casa não é um modelo de bom gosto moderno eu viro uma pessoa menor? Será que eu tenho um defeito grave? Saí toda animada para comprar o café da manhã para ele. Abri a porta feliz da vida para receber uma crítica estética.
A gente abre a porta da nossa casa e recebe uma crítica. A gente abre o coração e recebe outras críticas. Um amigo disse outro dia que o cara morar em um apartamento bacana mostra algo de positivo sobre ele. E eu começo a pensar que eu não gosto desse mundo e que tudo está errado.
Eu abro a porta da minha casa e eu abro o meu coração. Mas isso também não basta. Nunca basta. Nada basta nesse mundo metido a besta. E eu só quero ser amada sendo do jeito que eu sou.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s