Eu não sei dançar

Tão devagar pra te acompanhar
A discoteca era uma grande moda. Lembro que eu simplesmente adorava a minha meia dancin n days de lurex. Só que aos oito anos, a vida não é tão fácil assim. Pelo menos, não a minha. AE toda a festinha discoteca tinha como clímax a situação mais infernal de todas: a detestável hora da música lenta. De dançar de rostinho colocado. Os anos 70 foram muito românticos. ”
Eu tinha medo que ninguém me tirasse para dançar. Mas também tinha simplesmente pânico de que isso acontecesse. Dançar de rostinho colado, uma situação realmente dramática para uma pequena desajustada. Aos oito anos de idade, eu preferia fugir. Me refugiar em algum lugar do play onde eu não pudesse ser encontrada. Sair de cena para tomarum refri. Não foi uma época fácil, muito menos divertida. Ao menos eu tinha uma meia lurex de consolo.
Por sorte, os movimentos musicais foram mudando e a música lenta saiu de moda na década seguinte. Nunca tive valsa dos 15 anos. E logo estaria freqüentando animadas rodinhas de pogo.
Até que, certa noite, alguém te chama para dançar forró. Você nem gosta, mas você está no meio de uma festa junina. Você não tem mais oito anos, também não tem seus rebeldes 17. Não vai dar para sair pogando. Ia ficar esquisito. A vida, às vezes, parece  uma canção da Marina.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s