Bíblia de amizades dos ex-namorados

A etiqueta para conviver com este mal (ou mau) necessário. Claro que você pode ficar amiga do seu ex-namorado!!! ”
Afinal, você deu tanto para ele! Ele que te viu com os piores cabelos – e te amou assim mesmo. Ele que descobriu seus pequenos absurdos – e te amou assim mesmo. E você que aturou os comportamentos esquisitos daquela pessoa – e a amou assim mesmo. É até estranho – para não dizer triste – que tamanha intimidade desapareça de um dia para o outro. E que você prefira trocar de calçada a ter que cumprimentar o sujeito.
Um dia, provavelmente, as diferenças serão superadas. Quem sabe, em 30 anos, quando vocês se encontrarem por acaso, na fila preferencial para idosos do supermercado. Antes disso, melhor manter a distância.
Porque o ser humano é idiota. E em algum momento essa amizade vai acabar em troca de farpinhas. Em choro. Em pancadaria e ódio. Estou falando, claro, de relacionamentos passionais.
“Se você, no entanto, ainda acredita no Papai Noel e na amizade entre “”ex”” tenha sempre em mente regras básicas de comportamento. Uma etiqueta que você deve seguir a ferro e fogo. ”

Capítulo 1: Considerações sobre o querer bem
Queria bem ao seu ex.
“Mas cuidado. Se você querer muito muito muito bem ao seu “”ex””, nunca mais vai conseguir se libertar. ”
“Lembre-se dos defeitos. Afinal, você passou anos relevando os defeitos para ficar ao lado dele. Então, agora, é natural que você releve as qualidades. Claro que esse conselho é meio feio. Mas funciona. Pelo menos naquela época crucial do “”acho que ainda gosto dela””. Mas também, com equilíbrio. Senão, você vai ficar com desgosto só de ver a pessoa, o que também não é bom. ”
“Não queira fazer o seu “”ex”” tomar um prumo na vida. Pense bem: você não conseguiu isso nem pagando boquetes. Então, não é com uma palavra amiga que vai dar jeito no rapaz! ”
Mas também saiba que os problemas dele são dele. E azar o dele.
você tem raiva, mágoa e ódio da pessoa, faça uma peregrinação a Meca, dê sete voltas em torno da pedra fundamental e veja se passa. Afinal, isso não é bom para o karma. E se ele foi babaca com você, provavelmente você deixou. ”
Se você não lida bem com a rejeição, tente alcançar a iluminação espiritual se tornando faquir.
Capítulo 2: Considerações sobre o que falar dele
Com os seus amigos íntimos e com o seu analista, você pode falar cobras e lagartos. Que o cara era mau caráter, que tinha pau fino e que gostava de imitar o Rick Martin na hora do banho. Em ambientes públicos, no entanto, você deve ser fina. E nunca falar mal do sujeito.
Principalmente, porque você será incitada a falar mal dele pelas outras pessoas. Sim, o ser humano gosta de ver sangue, de uma luta de gladiadores. E não tenha dúvida: as mesmas pessoas que te incitaram a falar mal dele falarão mal de você. Vão sair por aí dizendo que você só sabe falar mal dele!
Sorrisos irônicos, no entanto, são permitidos.
Não faça o contrário, também, e comece a falar muito bem dele em público. Isso já é demais.
Capítulo 3: Considerações sobre o sexo entre exs
Lembre-se do amplo mercado de brinquedos sexuais, de vibradores ótimos que sugam seu clitóris enquanto um gancho puxa o seu cabelo. Mas evite recaídas.
A não ser que você seja muito bem resolvida.
“;Nunca diga “”vai ser só uma trepada””. Este verbo só pode ser conjugado no passado: “”foi só uma trepada””. ”
“Sexo com “”ex”” pode dar ressaca moral, melancolia ou recaída amorosa mesmo. Tudo bem, se você usar o vibrador sugador de clitóris pode acabar no hospital com seu olho perfurado pelo gancho. Mesmo assim, isso é melhor”
Sexo entre exs, às vezes, é meio triste. Principalmente quando a separação é recente. E, enquanto você está ali de quatro, olhando para a parede, começa a pensar que não tem mais nada a ver e que vocês nunca serão felizes juntos. Aí você começa a chorar. Ele diz que é impossível que esteja doendo, que você está fazendo drama só para ele não pedir para você dar o cú. Você se vira e diz que todos os planos de filhos foram por água abaixo. Aí ele broxa. Tudo isso pelados. Deprê.
Existe sempre a lenda da última trepada: que você tem que fazer sexo com o ex por uma última vez, depois de terem terminado, para se libertar. Também existe a lenda da mula sem cabeça, do boitatá e dos elfos da montanha.
Capítulo 4: Considerações finais sobre o relacionamento com os exs
Não tenha relacionamentos com os exs. A não ser algo cordial, tipo mandar um cartão de natal para ele.
Essa regras não precisam ser seguidas se você tem maturidade emocional.Algo não muito freqüente.
“Não fique perseguindo seu “”ex”” tentando fazer contatinho. ”
“Cumprimente-o em ambientes sociais. É horrível “”ex”” que não se falam. ”
“De vez em quando, converse com ele, conte como está a sua vida. Mas nunca – em nenhuma hipótese – dê detalhes da sua vida sexual. O seu “”ex”” não é obrigado a ouvir você falar que está participando de orgias e que está saindo com fulano e beltrano. Isso é uma grosseria absurda. Se ele perguntar porque você está usando um tapa-olho, desconverse. Nada de jogar na cara dele que você está dando para um gancho.”
Não esqueça de mandar uma coroa de flores para o seu enterro.
De preferência, apenas quando ele já estiver morto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s