O que eu aprendi com os meus ex namorados

E o que eu ensinei para eles””É passado.”” Depois que ele falou isso, com aquela frieza macha que a gente bem conhece, decidi que a dor pode ser um pouco presente. Mas ele é passado mesmo. Então, comecei a lembrar o que eu aprendi com os meus ex namorados. ”
Aprendi muitas coisas. Com o primeiro, aprendi a andar de moto, na garupa, claro. E a me preocupar com homem drogado. Sim, era o primeiro!
Com um deles, aprendi coisas sobre bicicleta, ele era biker fanático. Até vi um vídeo sobre bicicleta. E fingi que gostei por um tempo.
Com outro aprendi muitas coisas sobre futebol. Enquanto tivemos juntos, soube exatamente a colocação do meu time, o Fluminense, no cenário nacional e mundial. Também aprendi coisas de quadrinhos, que ele sempre tentava me convencer a ler.
Com outro ex namorado aprendi a gostar de Serge Gansbourg e fui pela primeira vez ao Ritz. Também aprendi o que era uma coisa chamada EBM (eletronic body music, eu acho). E não gostei nada.
Com um deles, aprendi como se faz risoto, também aprendi o nome de muitos designers importantes e de artistas plásticos contemporâneos que são o ápice do ápice. Ele também me ensinou coisas sobre temperos e arquitetura. E me levou a exposições de arte. Eu fingi, só um pouco, que gostei. Aprendi o nome de vários móveis que estavam na Praça da Feira Benedito Calixto.
Com um ex namorado muito do passado aprendi a gostar de REM (isso foi realmente uma coisa boa) e a ser a outra (isso foi realmente uma coisa ruim). Mas ele também me ensinou muitas coisas sobre o rock de Brasília.

Dois deles fizeram músicas para mim e eu virei musa.
Dois deles me pediram em casamento. Com um eu aceitei.
Um deles fez fotos lindas minhas pelada.
Um delez me ajudou a mudar os móveis da minha sala de lugar.
E eu, oras, o que será que eu ensinei para eles?
Que eu lembre, noções básicas de psicanálise e algo sobre educação infantil (não, não tenho filhos mas sou ótima com crianças, acreditem).
Ensinei para um que era bom ir a show de rock mesmo depois dos 30. Tentei ensinar todos a gostar de Chico Buarque e não consegui isso de nenhum. É triste, mas eu nunca tive um namorado na vida que gostasse tanto de Chico Buarque como eu. Ensinei alguns deles a gostarem do Xico (o com X).
Fracassei: Quando tentei fazer um largar as drogas, outro a parar de ser mágoa de caboclo e um deles eu tentei ensinar a amar romanticamente e com passionalidade. Fracasso retumbante.
Se eu fui útil? Acho que fui. Eles também foram. Mas não, nenhum menino me ensinou quase tudo que eu sei. Muita coisa eu aprendi sozinha. Como agora, em que aprendo a colocar ponto final.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s