Quando os pretês são uma droga

Não, meninos, vocês não são uma droga. Pelo contrário. Vocês são uns queridos, muitas vezes. O problema, que acometeu essa que vos escreve semanas atrás, acontece quando a gente resolve usar pretê como se fosse heroína. Um escape! Uma fuga! Me ajude a fugir, baby, porque a minha vida não anda fácil!

Eu explico melhor. Tem horas em que tudo fica pesado demais. A realidade fica dura. E a gente sente vontade de fugir. Como eu não uso heroína, ás vezes sofro do surto “preciso arrumar um pretê”. Normal querer arrumar um amor. Mas, nesse caso, eu estava realmente querendo me drogar. Nada como inventar um amor pra fugir da realidade. Claro que dá errado. E não resolve nada. E ainda dá ressaca moral. Ou seja, homem, quando mal usado, é mesmo, sem dúvida, uma droga. Mas a culpa é nossa, usuárias…

(por Nina Lemos)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s