A arte de não se lembrar mais dos nomes

Não sei se com a idade a parte da memória que se lembra dos nomes vai se deteriorando. Provavelmente sim, pois as avós sempre chamam todos os nomes dos netos até conseguir chegar no seu. Mas não sabia que esse processo começava cedo, por volta dos 30 anos.

Mas para preservar o resto da massa cinzenta que ainda pode gravar nomes, uma tática foi adotada: a de nem tentar memorizar os nomes. Mesmo os nomes de algumas pessoas que eventualmente você terá que chamar. Tipo o da professora de hidroginástica. O da gerente do banco. O da mãe da melhor amiga do seu filho.

O único problema dessa técnica é quando você tem que apresentar alguém para a pessoa sem nome. Acontece muito com pessoas do passado. Quando rola isso, o jeito é apelar para a terrível apresentação de uma pessoa só: esse aqui é o fulano. E a pessoa sem nome que diga seu nome.

E eu entendo se as pessoas também esquecerem meu nome. Eu sei que não é nada pessoal.

(por Raq Affonso)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s