A arte não vai mudar o mundo (mesmo)

Recebi um e-mail por corrente. Chequei. E é verdade. Um artista plástico da Costa Rica chamado Guillermo Vargas, ou Habacuc, fez a seguinte instalação em uma exposição na Nicarágua: colocar um cachorro de rua, maltrapilho e maltratado, faminto, amarrado por uma corda bem curta no meio da galeria de arte. O cachorro morreu. De fome. Ou seja, o artista matou um cachorro.

Não venham dizer que isso é arte. O 02 Neurônio é a favor dos diretos dos animais (sim, somos). E achamos que a vida de um cachorro é mais importante do que uma instalação truquenta cabeça de artista contemporâneo (escrevo no plural porque sei que minhas parceiras Raq e Jô concordam comigo).

Se quiserem empilhar tijolos e falar que é arte, tudo bem. A gente até aceita. Agora, matar bicho não pode. Antes eu achava que essas instalações cabeças só eram chatas. Agora começo a pensar que são perigosas.

Ah, e olho o que o “artista” disse para um jornal (reproduzo em espanhol):
“Me reservo decir si es cierto o no que el perro murió. Lo importante para mí era la hipocresía de la gente: un animal así se convierte en foco de atención cuando lo pongo en un lugar blanco donde la gente va a ver arte pero no cuando está en la calle muerto de hambre.”

Medo dessa gente.
Para tentar boicotar o tal sujeito assinem aqui: http://www.petitiononline.com:80/13031953/petition.html

(Nina Lemos)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s