Freud para punks 2: a inveja de si mesmo

Minha tia psicanalista adora usar esse termo: inveja de si mesmo. Pelo o que entendi. Raramente acontece uma coisa ótima na nossa vida. Daquelas boas mesmo. Nossas. Conquistadas por nós. Uma coisa sensacional. Absolutamente do caralho. Seus amigos comemoram com você. E você mesma fica super feliz. E canta que, se não consegue ser alegre o tempo inteiro, como diz o W., consegue ser alegre de vez em quando. O que já é uma coisa bem boa.

Aí eles aparecem, os monstrinhos da autosabotagem que habitam as regiões tenebrosas do seu cérebro. Como você náo suporta ver uma coisa tão desejada acontecendo com você, começa a dar comida para os monstrinhos do demo. E pronto. Eles começam a dominar a sua cabeça e o seu coração, até ontem táo felizes. Os monstros te fazem xeretar os orkuts dos alheios,sentir ciúmes dos alheios e, se você náo tomar cuidado, pode fazer coisas realmente horríveis. Tipo armar uma briga, ou qualquer outra coisa que te deixe infeliz

Assim como Amy, é hora de dizer não e náo e não para esses monstrinhos filhos da puta. Vocês náo vão me dominar. Não brigarás. Não terás ataques de ciúme descabidos. Não pensarás em bobagens. Não sofrerás por coisas que nem te faziam sofrer até ontem. Chega. Saiam de mim, que esse cérebro não vos pertence.

(Nina Lemos)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s