A vida sem empregada

Sim, esse é um texto pequeno burguês. Se é que ainda existe esse termo. Por isso, se você for do MST, anarquista, contra-cultura nem leia.

A vida sem empregada é muito dura. Pelo menos para quem tem filho. Pequeno. De repente, de um momento para outro, você precisa limpar, lavar, passar, cozinhar, fazer mercado, levar e buscar na escola. Brincar, ensinar, passar valores positivos, fazer a lição, jogar wii. Ah, e trabalhar, pensar estratégias, pagar contas. E dormir e tomar banho, se der tempo.

O que te faz pensar: morar na Europa deve ser meio ruim, caso você tenha filhos. Porque se você trabalha e precisa cuidar de um filho sem nenhuma ajuda…uau! Você vai seriamente repensar a maternidade. E a existência da igualdade entre os sexos, que acaba fazendo com que a mulher quase sempre trabalhe pelo menos o dobro do homem. E ganhe um pouquinho menos, afinal, ela tem que cuidar das coisas de casa.

Melhora logo, Alzira!!!

(Raq Affonso)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s